Gestores são capacitados no combate à desnutrição e obesidade infantil

Gestores públicos da saúde de Alagoas participaram nesta semana da “Oficina da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil – EAAB”, promovida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Ministério da Saúde (MS) e Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar (IBFAN).

O objetivo da capacitação foi levar informações atualizadas sobre amamentação e alimentação saudável de crianças com até dois anos para agentes de saúde que atuam com esse público nos municípios habilitados a receber o Selo Unicef.

Para atingir a capilaridade nas cidades do interior, a oficina da EAAB formou tutores regionais, em três dias de curso, com atividades teóricas e práticas. A representante do MS, Janine Guimarães, facilitadora da EAAB, que ministrou o curso em Alagoas, falou sobre a importância da conscientização alimentar para o combate à obesidade e à desnutrição infantil.

“Os estudos do ministério mostram que, onde há a implantação da EAAB, melhoram os índices de aleitamento materno e a introdução de alimentação saudável na infância. A estratégia é capacitar os agentes públicos, que estão mais próximos da comunidade. Com uma equipe de trabalho organizada e sensibilizada temos um desmame correto e a introdução dos alimentos adequados”, disse Janine Guimarães.

Ainda de acordo com a representante do MS, é preciso dar atenção especial às crianças menores de dois anos, já que essa é uma “janela de oportunidade” para formação dos bons hábitos alimentares. “Hoje, uma em cada três crianças está acima de peso. Por isso essa ação é uma prioridade da Rede Cegonha e da Política Nacional de Atenção à Saúde Integra da criança”, falou Janine.

Tutores

Júlio Oliveira foi um dos tutores formados pela oficina e explicou que o conhecimento será multiplicado para todos que atuam nos postos de saúde. “Compartilharemos essas informações para que haja um acolhimento e orientações adequadas das gestantes e mães. Melhorando os índices de aleitamento materno, melhoramos a qualidade de vida dessas crianças e os indicadores dos municípios”, explicou Júlio.

A cidade de Pilar foi escolhida para receber a fase prática da oficina, e a agente de saúde Ivanize Rodrigues disse que as informações atualizadas trazidas pelos tutores garantem uma abordagem correta, tanto no posto de atendimento, quanto durante as visitas domiciliares. “Sabemos o que é saudável, mas as orientações nutricionais mudam, por isso é importante passarmos por essa reciclagem e ver como podemos adequar a nossa realidade na oferta de alimentos”, disse a agente de saúde.

CRIA

Melhorar a qualidade da alimentação das crianças é uma dos objetivos do Criança Alagoana (CRIA), programa que cuida da primeira infância de Alagoas. A última ação do CRIA foi voltada para análise da taxa de ferro em crianças de até seis meses, e o mutirão apontou de 60% delas estão com anemia, sendo encaminhadas para tratamento.

O Criança Alagoana tem como um dos eixos estratégicos a capacitação dos servidores públicos que atuam com gestantes e crianças de 0 a 6 anos. Em pouco mais de dois anos de existência, e presente sem seis municípios, servidores das áreas de saúde, educação e assistência social passaram por cursos de formação e capacitação. Em 2019, o CRIA será ampliado para mais municípios de Alagoas.

Ascom – 14/12/2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *