MPF de SP pede abertura de inquérito contra Haddad e tucanos

O Núcleo de Combate à Corrupção (NCC) do Ministério Público Federal em São Paulo pediu nesta segunda-feira a abertura de doze inquéritos policiais para investigar crimes que foram delatados por executivos da Odebrecht em acordos de colaboração premiada firmados com a Procuradoria Geral da República (PGR). Entre os alvos estão o o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) e políticos ligados ao PSDB.

Os acordos de delação premiada foram firmados no âmbito da Operação Lava Jato e fazem menções a supostos pagamentos de propina e caixa dois da Odebrecht para agentes públicos e candidatos. A maioria dos fatos diz respeito ao período que abrange as eleições de 2010, 2012 e 2014, informa o MSN.

Relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Luiz Edson Fachin enviou os casos à primeira instância da Justiça Federal de São Paulo por envolverem pessoas sem prerrogativa de foro. Ao todo foram 27 petições remetidas por Fachin à Justiça paulista.

Além dos doze pedidos de abertura de inquérito enviados à Polícia Federal na capital, o NCC encaminhou sete petições para unidades do MPF localizadas no interior do estado. Também há um pedido de declínio de competência para que o Ministério Público do Estado (MPE) investigue um agente do Tribunal de Impostos e Taxas de São Paulo, vinculado à Secretaria Estadual da Fazenda. Há ainda outros sete procedimentos que foram distribuídos a diferentes procuradores paulistas do MPF.

Segundo o MPF, os procurados do NCC aguardam o aval da PGR para constituir uma força-tarefa que se dedicará a investigar os crimes relatados pelos delatores da Odebrecht.

10/07/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *