TJ/AL discute implantação de Banco Nacional de Monitoramento de Prisões com CNJ

Segundo desembargador Celyrio Adamastor, o objetivo é aprimorar o controle dos dados atinentes aos reeducandos, seus respectivos processos e tipificação penal

O desembargador Celyrio Adamastor Tenório Accioly, vice-presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) e supervisor do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF/AL), esteve reunido, nesta quarta-feira (12), com a ministra Cármen Lúcia, presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), para tratar sobre a implantação do sistema Banco Nacional de Monitoramento das Prisões (BNMP).

Segundo o desembargador, o sistema tem como um dos objetivos aprimorar o controle dos dados atinentes aos reeducandos, seus respectivos processos e tipificação penal, bem como o estabelecimento prisional em que se encontram.

Com a implantação do sistema, facilitará o conhecimento por qualquer pessoa e o cumprimento de diligências por parte das autoridades policiais, assim como auxiliará os juízes no exercício de sua jurisdição. Ele será alimentado através de um WebService e tem a finalidade de disponibilizar a consulta e a recepção dos mandados de prisão.

Na última segunda-feira (11), o desembargador Celyrio realizou uma inspeção extraordinária na Penitenciária de Segurança Máxima de Maceió, após fuga de quatro reeducandos, na noite de 6 de julho. Acompanhado dos membros do GMF/AL, o desembargador Celyrio Adamastor examinou a situação do prédio e discutiu soluções para que novas fugas não venham a acontecer.

12/07/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *