Trabalho preventivo potencializa segurança nos presídios alagoanos

A Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) continua desenvolvendo um intenso trabalho de segurança nas unidades prisionais. Até novembro de 2018, os agentes penitenciários flagraram 31 pessoas tentando entrar no sistema prisional com materiais ilícitos, cartas, celulares, documentos falsos, entre outras situações irregulares.

O trabalho preventivo tem sido uma das principais ferramentas da Seris para conseguir atender as diretrizes da Lei de Execuções Penais (LEP). O secretário de Ressocialização, Marcos Sérgio de Freitas, enfatiza a importância do planejamento estratégico para a segurança pública e manutenção da ordem nas unidades prisionais.

“Um dos fatores determinantes para a execução dos nossos projetos ressocializadores é a segurança. Para atingir nossos objetivos, mantemos um planejamento sólido, executado por agentes penitenciários cada vez mais qualificados. Estamos seguindo as diretrizes do governador Renan Filho e agindo dentro da lei”, explicou Freitas.

Para propiciar mais operacionalidade e eficiência nas atividades dos agentes penitenciários, a Seris também tem investido na aquisição de equipamentos de segurança. Recentemente, foram adquiridas 750 algemas, além de lançadores AM-640 de munições não letais, munições, espargidores de pimenta e granadas lacrimogênea, de enfeito moral e de pimenta.

A modernização tecnológica é outro recurso utilizado pela pasta. Equipamentos de segurança como banquetas, scanners de Volume de Mão (Raio-x), scanners corporais e raquetes detectoras de metais são usados pelos agentes penitenciários. Além disso, os bloqueadores de sinais de radiocomunicação já são realidade no sistema prisional. Como resultado, há mais segurança e dignidade na execução dos trabalhos ressocializadores.

Ascom – 12/12/2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *